"4" Post(s) arquivados na Mês: julho 2020

28 de julho de 2020

2 Comentários

Outra versão da vida

Por Eriane Dantas

Um café,
dois,
três.
Novo ofício,
e-mail,
telefonema,
despacho para não sei onde,
reunião com não sei quem.


Espero as 17 horas,
espero o fim de semana,
espero as férias,
espero o Natal,
espero outro ano começar.

Continue lendo
25 de julho de 2020

8 Comentários

[Resenha] O fantástico mistério de feiurinha

Por Pedro Bandeira

  • Título Original: O fantástico mistério de feiurinha
  • Editora: Moderna
  • Ano de Publicação: 2009
  • Número de Páginas: 64
Sinopse: Você se lembra, não é? Quase todas as histórias antigas que você leu terminavam dizendo que a heroína casava-se com o príncipe encantado e pronto. Iam viver felizes para sempre e estava acabado. Mas o que significa "viver feliz para sempre"? Significa casar, ter filhos, engordar e reunir a família no domingo para comer macarronada? Quer dizer que a felicidade é não viver mais nenhuma aventura? Como é que alguém pode viver feliz sem aventuras?
Comprar na Amazon

Não. Branca de Neve jamais desapareceria, assim como Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel, Bela-Fera ou Rosaflor Della Moura Torta. Elas tinham sido eternizadas nos livros pelos maiores artistas do mundo e suas vidas se renovavam todos os dias quando os livros se abriam na frente de novas crianças, prontas a rir, a chorar e a se emocionar com suas aventuras (p. 40).

Escrito por Pedro Bandeira e ilustrado por Avelino Guedes, O fantástico mistério de Feiurinha mistura conhecidos contos de fadas com a história de Feiurinha, personagem criada pelo escritor.

Um dia, em um época pós-final dos contos de fadas, as protagonistas de algumas dessas histórias se reúnem para discutir o que teria acontecido com Feiurinha, que desapareceu e ninguém sabe onde se encontra. O medo das personagens é que o “felizes para sempre” de cada uma delas também esteja comprometido, já que Feiurinha sumiu depois da promessa de final feliz.

Continue lendo
23 de julho de 2020

3 Comentários

A lunática das listas

Por Janete Marques

Levar as crianças à escola, pegar a fantasia da Ayo na costureira, ir à apresentação das crianças às 18h, marcar consulta no dentista para Zuri, marcar consulta no ginecologista, passar no mercado, entregar os livros na biblioteca, terminar de fazer os planos de aula da próxima semana, corrigir as provas, entregar os trabalhos do 7º ano, transferir o dinheiro para minha mãe.

Preciso confessar, sou viciada em listas. Tem gente que quando acorda faz prece, oração, ioga, lê “Minutos de sabedoria”. Eu não. Eu faço listas. Elas me dão a sensação de que estou no controle. Sinto que sou o ser humano mais organizado do mundo. Não, não sou. Parece exagero, né? Talvez. Mas a minha vida só funciona com as abençoadas listas. Nem sei quando me tornei a lunática das listas. Acho que foi depois da maternidade. A cobrança e o julgamento por ser mãe solteira… Não, mãe solteira não. Mãe solo. Só mãe mesmo. Esses dias li numa revista que maternidade tinha  a ver com ter filhos e não com estado civil. Gostei. Onde estava? Sim. Depois da maternidade me tornei essa pessoa que precisa anotar tudo num papel. O tempo era o vilão a ser combatido. Ele teimava em passar ligeiro e eu tinha que ser mais rápida que ele. Que comecem os jogos!

Continue lendo
21 de julho de 2020

2 Comentários

Grandes amigos dos livros infantis

Amigo é coisa para se guardar
no lado esquerdo do peito… 
(Fernando Brant e Milton Nascimento).

Um amigo deve realmente ser guardado no coração, como diz a música. Mais do que isso: deve ser cuidado, cativado, amparado, amado.

É engraçado. Encontramos os amigos por acaso e somos atraídos por um ou vários pontos em comum — pontos que nos unem, apesar de nossas diferenças. Queremos tê-los ao lado para comemorar as conquistas e são a eles que recorremos nos nossos momentos menos festivos.

Continue lendo

1 2 3
© 2020 Histórias em MimDesenvolvido com por