21 de julho de 2020

1 Comentário

Grandes amigos dos livros infantis

Amigo é coisa para se guardar
no lado esquerdo do peito… 
(Fernando Brant e Milton Nascimento).

Um amigo deve realmente ser guardado no coração, como diz a música. Mais do que isso: deve ser cuidado, cativado, amparado, amado.

É engraçado. Encontramos os amigos por acaso e somos atraídos por um ou vários pontos em comum — pontos que nos unem, apesar de nossas diferenças. Queremos tê-los ao lado para comemorar as conquistas e são a eles que recorremos nos nossos momentos menos festivos.

Os amigos provam que nem sempre é necessário grau de parentesco para se construir uma relação sólida e genuína. E junto com eles não apenas nos divertimos ou passamos o tempo. Também aprendemos a ser pessoas mais justas, fortes e corajosas.

A literatura para crianças está cheia de exemplos de amizades assim. Por isso, eu relembro aqui grandes amigos dos livros infantis.

1. Pedro e Tina

Pedro e Tina são amigos inseparáveis…
até debaixo d’água,
e para sempre (p. 30-32).

Pedro é um menino meio atrapalhado e, às vezes, não consegue realizar as tarefas mais simples (da forma como os outros esperam). Tina é o oposto: faz tudo conforme as expectativas dos adultos.

Os dois se encontram quando Pedro esbarra em Tina sem querer. Ele admira como a menina faz tudo tão bem, e ela lhe ensina o que sabe. Tina gostaria de não ser tão certinha, e Pedro lhe mostra como fazer as coisas de outro jeito.

Os dois ignoram suas diferenças e se tornam amigos, mostrando que qualquer pessoa tem algo a ensinar a outro alguém.

A história de Pedro e Tina é contada no livro Pedro e Tina: uma amizade muito especial, de Stephen Michael King (Brinque Book, 1999).

2. Lino e Lua

Lino não escutava as risadas de Lua. Mas tinha certeza de que ela também era feliz (p. 26).

Lino e Lua estão juntos desde a fábrica de brinquedos. Ele é um porquinho e ela, uma coelhinha branca. Lua inventa músicas e histórias e, quando dá risadas, uma luz se acende em sua barriga.

Lino fica triste ao não encontrar a amiga um dia na loja de brinquedos e descobre que sumir assim é muito comum por ali.

Então, de repente, Lino é colocado numa caixa e vai parar nas mãos de uma menina chamada Estrela. Os dois também se tornam amigos e brincam até cansar. Mesmo assim, Lino não esquece Lua. E Estrela se encarrega de mostrar para Lino a Lua lá no céu.

Lino, Lua e Estrela podem ser encontrados no livro Lino, de André Neves (Callis, 2011).

3. A árvore e o menino

O menino amava a árvore…
profundamente.
E a árvore era feliz (p. 25-27).

A história aqui é sobre a amizade entre uma árvore e um menino. Ou quase isso. Na infância, o menino é mesmo amigo e companheiro da árvore; quando cresce, se afasta, se esquece da amiga e só volta até ela com algum interesse.

A mensagem que fica é a de doação da árvore, sempre feliz em fazer o menino feliz, e de sua lembrança apesar do tempo e da distância. Também se vê que o menino não se constrange em abusar da bondade da árvore, mas acho que ele aprende algo ao final: quando já está velho e cansado, percebe que não precisa mais das coisas que desejava antes.

A relação entre a árvore generosa e o menino pode ser apreciada no clássico da literatura infantil A árvore generosa, de Shel Silverstein (Companhia das Letrinhas, 2017).

4. O piloto e o Pequeno Príncipe

— Quando à noite olhar o céu, estarei em uma estrela sorrindo para você. Todas as estrelas estarão sorrindo para você. E você contemplará estrelas que sorriem! (p. 122).

Ao fazer um pouso forçado no deserto do Saara, devido a uma pane no motor de seu avião, o piloto encontra o Pequeno Príncipe, que mora em outro mundo e veio à Terra após um tour por planetas distintos.

Mesmo com pressa de consertar seu avião e sem paciência para conversas, o piloto ensina coisas novas ao Pequeno Príncipe e faz os desenhos pedidos por ele. O Pequeno Príncipe ajuda o piloto a olhar para o mundo com outros olhos (mais como criança do que como adulto).

A despedida se torna um momento doloroso para os dois, que acabam se considerando amigos, mesmo com a diferença de idade e de origem.

Essa amizade interplanetária pode ser vista em outro clássico da literatura infantil: O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry (Geração Editorial, 2015).


***


Compre os livros pelos links a seguir:

confira esses posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Eliete Morais
    21 julho, 2020

    Que lindo ❣Deus me deu de presente a sua amizade, onde tenho um porto seguro para descansar.
    Te amo minha amiga, ainda que esses dias distantes fisicamente, mas nunca distantes no coração. Saudade das nossas risadas e conversas, nos cafés e almoços de cada dia, mas sei que logo nos reencontraremos.

  • © 2020 Histórias em MimDesenvolvido com por