"4" Post(s) arquivados na Tag: meta literária

18 de maio de 2021

0 Comentários

[Resenha] O conto que não existe

Por Luis Diaz

  • Título Original: O conto que não existe
  • Gênero do Livro: Conto
  • Editora: SESI-SP
  • Ano de Publicação: 2014
  • Número de Páginas: 36
Sinopse: O grande segredo da Rainha das Fadas estaria ameaçado? Ora, dirá você, fadas não existem! Pois é, mas ainda assim queremos saber o que está tramando a Fada Turva com seus trasgos e por que o duende que toma conta do jardim real está tão preocupado. Não precisa dizer, também sei que duendes e trasgos não existem! Para saber o fim desta história, só lendo este conto que não existe...
Comprar na Amazon

O conto que não existe, escrito e ilustrado por Luis Diaz, me atraiu pela capa e pelo título (foi justamente por isso que o comprei). Diz-se que não se pode julgar um livro pela capa (para o bem ou para o mal). Quem nunca o fez que atire a primeira pedra.

Gostaria de contar para você um conto de fadas. Eu sei que fadas não existem, nem magias, e que você não acredita nessas besteiras (p. 5).

Esse é um conto de fadas. Quero dizer, o próprio narrador afirma que fadas não existem. Sendo assim, o conto também não existe.

Afinal, ninguém acredita em magia, mas todo mundo usa computador. Você digita. Esquece um acento e ele coloca. Erra uma palavra e ele corrige. Quer magia maior? Então… (p. 5).

Continue lendo
04 de maio de 2021

0 Comentários

[Resenha] Casa de alvenaria

Por Carolina Maria de Jesus

  • Título Original: Casa de alvenaria: diário de uma ex-favelada
  • Gênero do Livro: Diário
  • Editora: LeBooks
  • Ano de Publicação: 2019
Sinopse: Casa de alvenaria: diário de uma ex-favelada foi escrito em 1961, por uma improvável autora. Carolina Maria de Jesus era negra e passou a maior parte de sua vida morando numa favela e trabalhando como catadora de papel. No entanto, frequentou a escola e, em pouco tempo, aprendeu a ler e a escrever e desenvolveu o gosto pela leitura. Seu primeiro livro foi Quarto de despejo: diário de uma favelada, que alcançou grande sucesso e foi traduzido para diversas línguas. A partir dai, não parou mais de escrever e seu segundo grande sucesso foi Casa de alvenaria, um livro tocante, no qual Carolina de Jesus conta, por meio de um diário, sua nova perspectiva de vida, já morando em uma verdadeira casa de tijolos. Nessa narrativa os dias assumem uma nova dimensão deixando de ser sempre iguais e precedidos pela fome. As surpresas, os choques, as grandes alegrias e os desencantos se sucedem neste registro de grande valor humano e de grande valia para a compreensão da realidade brasileira. Casa de alvenaria é uma leitura tocante e inesquecível.

Casa de alvenaria: diário de uma ex-favelada, de Carolina Maria de Jesus, é a continuação do livro Quarto de despejo: diário de uma favelada. Agora, após o lançamento do primeiro livro — obra de grande sucesso, traduzida para outros idiomas —, Carolina e os três filhos saem do quarto de despejo e ingressam na sala de visitas.

A tristeza estava residindo comigo há muito tempo. Veio sem convite. Agora a tristeza partiu, porque a alegria chegou. Para onde será que foi a tristeza? Deve estar alojada num barraco da favela (p. 25).

Aqui o maior conflito da autora não é mais a fome (tão presente em Quarto de despejo), mas sua entrada em um mundo estranho, o qual não compreende muito bem, onde passa a valer pelo dinheiro que tem (ou que pensam que ela tem). A toda hora alguém a procura para pedir dinheiro emprestado, para representar alguma causa. Isso e a rotina de viagens e de eventos relacionados ao lançamento da obra tiram-lhe o tempo da escrita, o que é causa de angústia.

Continue lendo
15 de abril de 2021

0 Comentários

[Resenha] Contando com a sorte

Por Alcides Goulart

  • Título Original: Contando com a sorte
  • Gênero do Livro: Romance
  • Editora: Jovem
  • Ano de Publicação: 2012
  • Número de Páginas: 64
Sinopse: O povo da pequena Estrelópolis vive uma semana de euforia. Pela primeira vez na história, o time da cidade vai disputar a decisão do campeonato. O prefeito – supersticioso ao extremo – exige a escalação do rapaz mais sortudo da cidade. Para o prefeito, é a sorte que comanda a vida e o destino das pessoas. O treinador da equipe discorda, pois acredita na competência, e não na sorte. O rapaz sortudo, por sua vez, torce para entrar em campo, pois assim vai atrair o olhar de Marinalva, por quem é perdidamente apaixonado. Um texto envolvente e bem-humorado. Uma leitura deliciosa!
Comprar na Amazon

Nem a sorte nem o azar mandam no seu destino. Quem manda no seu destino é você. São as suas escolhas, os seus atos, que vão dizer se a sua vida vai ter mais momentos de sorte ou mais momentos de azar (p. 60-61).

Será que existe sorte? Será que existe azar (esta palavra que muita gente evita pronunciar para não atrair seu significado)? Será que algumas pessoas são mais sortudas do que outras? Será que quem tem sorte no amor não tem sorte no jogo e vice-versa?

Esse é o tema principal dessa história bem-humorada. Nela acompanhamos personagens fictícios do pequeno município de Estrelópolis, que poderiam ser encontrados em carne e osso em diversas partes do país, personagens que parecem nossos conhecidos.

Continue lendo
30 de março de 2021

0 Comentários

[Resenha] Mrs Dalloway

Por Virginia Woolf

  • Título Original: Mrs Dalloway
  • Gênero do Livro: Romance
  • Editora: Autêntica
  • Ano de Publicação: 2016
  • Número de Páginas: 268
Sinopse: É simples a trama de Mrs Dalloway. Tudo se passa num dia de junho de 1923. Clarissa, esposa de Richard Dalloway, membro do Parlamento britânico, sai para comprar flores para a festa que dará à noite. No caminho passa por algumas das ruas centrais de Londres e por dois de seus principais parques, encontrando o amigo Hugh Whitbread. Seu trajeto cruza com o de outro personagem central, Septimus Warren Smith, que, acometido de um sério trauma de guerra, encaminha-se, com a esposa que conheceu na Itália, Rezia, para uma consulta com um importante psiquiatra.Já em casa, Mrs Dalloway recebe a visita de um antigo namorado, Peter Walsh. Deixando a casa de Clarissa, ele empreende sua própria caminhada por Londres, regressando, depois, ao seu hotel, de onde sai, ao final da tarde, para a festa da antiga namorada. O romance culmina na festa de Mrs Dalloway, onde se encontram pessoas de suas atuais relações, como o próprio Primeiro-Ministro, e pessoas de seu passado: além de Peter Walsh, também Sally Seton, uma paixão da adolescência. [...]
Comprar na Amazon

Roía-lhe, contudo, ter esse monstro brutal se mexendo dentro dela! […] nunca estar inteiramente contente, ou inteiramente segura, pois a qualquer momento a fera podia estar se mexendo, esse ódio que, especialmente desde a sua doença, tinha o poder de fazê-la sentir-se arranhada, ferida na espinha […] (p. 14).

Você já se pegou diante de um livro clássico, de um autor ou de uma autora renomada, com medo até de abri-lo, receando não compreender a grandeza daquela obra?

Eu me sinto assim às vezes e me senti em relação a Mrs Dalloway, que comprei há pouco mais de três anos e só agora abri, folheei e li. Até então, havia chegado à segunda folha e escrito meu nome, acompanhado da data em que o tive nas mãos pela primeira vez: 24/8/2017.

A razão de toda essa cautela, creio eu, está no fato de essa ser a obra mais famosa de Virginia Woolf, uma referência na literatura mundial. Abriu minha mente ler seus ensaios acerca das dificuldades que as mulheres enfrentam para escrever, mas ainda não conhecia sua ficção.

Continue lendo

1 2 3 4
© 2021 Histórias em MimDesenvolvido com por