29 de junho de 2022

2 Comentários

Mais um ano de histórias em mim

Por Eriane Dantas

Quatro anos atrás, nesta data, entrava no ar o blog Histórias em mim, este espaço no qual expresso as histórias do mundo que conheço nos livros e as histórias que saem da minha imaginação.

No início de 2018, andava desconfiada da minha escrita, esta atividade que me segue desde a infância, esta habilidade que (quase) sempre foi uma certeza, mesmo quando não era. Vivia num dilema que ainda me pega vez ou outra: desejava publicar os meus textos; ao mesmo tempo, receava que outras pessoas os conhecessem.

Foi então que uma sugestão chegou até mim: “Por que você não cria um blog literário?”.

À primeira vista, essa pareceu uma ideia sem sentido. Eu não acompanhava blogs, nunca tinha imaginado me tornar uma blogueira, não sabia sequer como criar e manter uma página na internet. Sem falar que, com o excesso de informações e redes sociais, o fracasso seria o resultado mais provável para um blog no final dos anos 2010.

Apesar disso, a ideia se apossou de mim e eu me apossei dela; ela se converteu num projeto que eu precisava pôr em prática com urgência. Fui atrás de informações, busquei uma profissional para desenvolver o site e, em poucos meses, concretizei o plano.

Quando publiquei o primeiro texto, em 29 de junho de 2018, parte de mim sonhou, em segredo, que conquistaria centenas de leitores, enquanto a outra parte (a mais pessimista) duvidou que meus escritos gerariam interesse ou que eu seria encontrada no universo sem fim da rede mundial de computadores.

O começo foi devagar. As leitoras se resumiam às minhas amigas. A chegada de leitores e leitoras desconhecidos(as) foi gradual. Hoje o blog recebe muitas visitas por dia, além de comentários carinhosos de gente que compartilha comigo a paixão pela leitura.

Nesses quatro anos, publiquei 199 posts (este é o 199º). Falei de tantas leituras inspiradoras, enfrentei o medo para expor as minhas próprias criações e até me arrisquei em versos.

Vivi diferentes fases à frente do blog: fases de escrita intensa e fases de menos inspiração ou de cansaço, em que passei semanas sem escrever qualquer coisa. Atualmente, não tenho publicado textos toda semana, como fiz por um tempo, mas me esforço para não demorar a aparecer por aqui. Reconheço que o blog não pode se tornar um fardo nesta vida corrida e que eu não posso postar por postar, apenas para atualizar a página inicial.

Divido a minha aventura literária em antes e depois do Histórias em mim. A criação do blog coincide com a minha decisão de ser uma escritora profissional. Com ele, comecei a ler com mais frequência, a exercitar mais a leitura crítica, a me expor de verdade, a me arriscar. Ele me estimula a não desistir de escrever, mesmo no desânimo, porque prometi a mim mesma tratá-lo com carinho e mantê-lo vivo.

Nesse quadriênio, promovi um concurso literário (nos dois anos do blog) que, para minha surpresa, atraiu pouco mais de uma centena de participantes. Realizei ainda um sarau virtual no YouTube para comemorar o terceiro aniversário.

Neste ano, a minha celebração é mais singela. Venho aqui agradecer a você que visita o blog Histórias em mim, a você que me incentiva a cumprir meu compromisso, a você que também se dedica à leitura e à escrita. Não faz diferença se você vem aqui há anos, conheceu o blog na semana passada ou está chegando hoje. Muito, muitíssimo obrigada!

Eu continuo lutando, tentando resistir às dificuldades, me esforçando para levar as histórias em mim para quem a elas abrir os braços. Se quiser me encontrar, você já sabe, basta dar uma passadinha aqui. 🙂

confira esses posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Ana Luiza Barreto
    29 junho, 2022

    Parabéns, Eri!
    Eu festejo com você esses quatro anos que acompanhei com orgulho e alegria!
    A sua trajetória aqui no seu blog reflete o percurso admirável que você tem realizado nos últimos quatro anos como escritora e como comunicadora do seu ofício.
    Parabéns por essa linda caminhada!

    • Eriane Dantas
      06 julho, 2022

      Obrigada, minha querida companheira! Você fez e faz parte dessa história. 🙂

  • © 2022 Histórias em MimDesenvolvido com por