"3" Post(s) arquivados na Tag: um ipê de cada cor

12 de maio de 2022

0 Comentários

A mãe da Babi

Ilustração de Bianca Lana.

Mãe de alguém. Chega um momento na vida em que passamos a ser conhecidas assim, como se nos faltassem nomes. Meu filho ainda nem saiu das fraldas e eu já reparo nisso de vez em quando.

A mãe da Babi, de Um ipê de cada cor, vive essa experiência. Não sabemos o seu nome. Não sabemos muito sobre a sua história. Ela é a mãe da Babi e da Ana.

Mas nos inteiramos de seu ingresso no mundo materno, de sua preocupação em repetir os erros com a segunda filha, de sua forma de amar as duas.

Ainda no ensino médio, ela conheceu um garoto que se tornou um amigo inseparável. A amizade cresceu, se modificou e, de repente, como não é raro na juventude, os dois acharam que não viveriam um sem o outro. Da paixão veio a surpresa: logo o casal traria mais um ser ao mundo.

Continue lendo
30 de dezembro de 2020

4 Comentários

Retrospectiva 2020

Não preciso nem lembrar que 2020 foi um ano difícil para todo mundo (para algumas pessoas ainda mais). Quero fazer aqui uma retrospectiva positiva; dizer que o blog continua vivo e eu sigo pelo caminho da literatura.

A parte mais relevante de um balanço como este não é mostrar o quanto li ou escrevi, mas recordar o quanto produzi e conquistei num ano tão esquisito; testemunhar que a leitura e a escrita podem salvar o nosso dia, o nosso ano, a nossa vida.

Continue lendo
22 de agosto de 2020

0 Comentários

O processo VII

Publicar o livro (parte 2)

Recordo-me de escrever desde criança, quando enchia cadernos com histórias geralmente dramáticas. Houve, entretanto, um longo período em que me afastei dessa atividade (não saberia explicar o motivo). Mantive a escrita apenas nos momentos obrigatórios (trabalhos da escola, da faculdade ou da ocupação remunerada).

Por volta do ano de 2013, redescobri o gosto pela escrita. Dessa redescoberta, surgiu o livro Não sou mais criança, publicado no ano seguinte. De lá para cá, tenho estudado, lido e experimentado mais (e o blog contribuiu nesse processo). Venho aprendendo e aprimorando minha forma de escrever e até passei a me identificar (e me apresentar) como escritora.

Durante esse tempo, conheci distintas histórias de escritores e escritoras sobre seu ingresso no mercado editorial. Algumas delas fazem até parecer que tudo é fácil demais. Tentei usar suas estratégias, mas até o momento nada do que serviu para eles e elas serviu para mim.

Continue lendo
© 2022 Histórias em MimDesenvolvido com por