"4" Post(s) arquivados na Tag: resenhas

27 de abril de 2021

0 Comentários

[Resenha] Ponciá Vicêncio

Por Conceição Evaristo

  • Título Original: Ponciá Vicêncio
  • Gênero do Livro: Romance
  • Editora: Pallas
  • Ano de Publicação: 2017
  • Número de Páginas: 120
Sinopse: A história de Ponciá Vicêncio descreve os caminhos, as andanças, as marcas, os sonhos e os desencantos da protagonista. A autora traça a trajetória da personagem da infância à idade adulta, analisando seus afetos e desafetos e seu envolvimento com a família e os amigos. Discute a questão da identidade de Ponciá, centrada na herança identitária do avô e estabelece um diálogo entre o passado e o presente, entre a lembrança e a vivência, entre o real e o imaginado.
Comprar na Amazon

Ela [Ponciá] gastava todo o tempo com o pensar, com o recordar. Relembrava a vida passada, pensava no presente, mas não sonhava e nem inventava nada para o futuro (p. 18).

Ao ler Ponciá Vicêncio, senti meu coração apertado, as lágrimas a ponto de deixar os olhos. Chorei e sorri, como Ponciá, como seu Vô Vicêncio, de quem ela é herdeira. Lembrei-me de Macabéa, de Bibiana, de Belonísia, personagens que, como Ponciá agora, parecem minhas conhecidas.

Ponciá Vicêncio narra a história da protagonista que dá nome ao romance, desde seu nascimento, mas em uma sequência não linear. Ela vai para a cidade, deixando para trás o povoado natal, comandado pelos brancos, a quem serviram seu pai, seu avô e seus antepassados. Parte cheia de sonhos.

Continue lendo
03 de novembro de 2020

14 Comentários

[Resenha] Pedagogia do oprimido

Por Paulo Freire

  • Título Original: Pedagogia do oprimido
  • Gênero do Livro: Ensaio
  • Editora: Paz e Terra
  • Ano de Publicação: 2020
  • Número de Páginas: 256
Sinopse: Pedagogia do oprimido, escrito entre 1964 e 1968, quando Paulo Freire estava exilado no Chile, foi proibido pela ditadura civil-militar do Brasil, onde permaneceu inédito até 1974. Ancorado em situações concretas, este livro desvela as relações que sustentam uma ordem injusta, responsável pela violência dos opressores e pelo medo da liberdade que os oprimidos sentem. É um livro radical, sobre o conhecer solidário, a vocação ontológica, o amor, o diálogo, a esperança e a humildade. Aborda a luta pela desalienação, pelo trabalho livre, pela afirmação dos seres humanos como pessoas, e não coisas. É destinado aos revolucionários, que se comprometem com os oprimidos, para, com eles e ao lado deles, lutar para construir um mundo em que seja mais fácil amar. Em 1963, em Angicos, interior do Rio Grande do Norte, trezentos trabalhadores rurais foram alfabetizados em apenas 40 horas, pelo método proposto por Paulo Freire. Esse foi o resultado do projeto-piloto do que seria o Programa Nacional de Alfabetização do governo de João Goulart, presidente que viria a ser deposto em março de 1964. [...]
Comprar na Amazon

A pedagogia do oprimido, como pedagogia humanista e libertadora, terá dois momentos distintos. O primeiro em que os oprimidos vão desvelando o mundo da opressão e vão comprometendo-se, na práxis, com a sua transformação; o segundo, em que, transformada a realidade opressora, esta pedagogia deixa de ser do oprimido e passa a ser a pedagogia dos homens em processo de permanente libertação (p. 57).

Queria ter trazido Pedagogia do oprimido ainda no mês das professoras e dos professores, mas não importa o (pequeno) atraso. A principal obra de Paulo Freire pode ser lida em qualquer época. Aliás, na minha opinião, essa é uma leitura indispensável a toda pessoa interessada na transformação do mundo (e não só aos educadores).

Pedagogia do oprimido não é um livro fácil, de rápida compreensão. Ele traz referências e conceitos diversos que precisam de mais de uma leitura para serem alcançados. Talvez por isso eu não tenha visto toda a riqueza dessa obra quando li um ou dois de seus capítulos durante a graduação.

Hoje apresento aqui uma síntese das principais ideias que captei na minha recente leitura do livro.

Continue lendo
01 de setembro de 2020

4 Comentários

[Resenha] Torto arado

Por Itamar Vieira Junior

  • Título Original: Torto arado
  • Gênero do Livro: Romance
  • Editora: Todavia
  • Ano de Publicação: 2019
  • Número de Páginas: 264
Sinopse: Nas profundezas do sertão baiano, as irmãs Bibiana e Belonísia encontram uma velha e misteriosa faca na mala guardada sob a cama da avó. Ocorre então um acidente. E para sempre suas vidas estarão ligadas ― a ponto de uma precisar ser a voz da outra. Numa trama conduzida com maestria e com uma prosa melodiosa, o romance conta uma história de vida e morte, de combate e redenção.
Comprar na Amazon

Quando sento quieta para costurar uma roupa velha ou levanto a enxada para devolvê-la de novo ao chão, abrindo covas, arrancando as raízes das plantas, é que esse fio, que tem sido meu pensamento, vai se fazendo trama (p. 170).

Faltam palavras para expressar o que senti ao ler Torto arado, do escritor baiano Itamar Vieira Junior. Esse foi mais um presente da minha querida amiga Ana Luiza, que leu o livro, pensou em mim e acertou ao imaginar que eu gostaria de conhecê-lo também.

As personagens principais da história são duas irmãs de personalidades e sonhos um tanto distintos, que se unem por um acontecimento gerado pela curiosidade infantil e se separam por um mal-entendido. As duas se tornam mulheres fortes, que levam suas vidas por caminhos diferentes, mas ambas donas de seu destino.

Continue lendo
15 de agosto de 2020

2 Comentários

[Resenha] AmoreZ

Por Regiane Folter

  • Título Original: AmoreZ
  • Gênero do Livro: Conto
  • Ano de Publicação: 2020
  • Número de Páginas: 45
Sinopse: Já pensou que existem tantos tipos de amor quanto pessoas esperando ser amadas? O amor platônico, o amor que se termina, aquele que perdura, o amor em quatro patas, o que nasce da genética, amores sem explicação e muitos outros que você provavelmente já viveu ou ouviu falar... AmoreZ usa simples palavras para descrever o sentimento mais complexo e diverso de todos. Neste livro você irá conhecer & reconhecer amores de A a Z. São histórias curtas inspiradas em fatos reais ou sonhados que falam sobre como esse sentimento nasce em nós, nos transforma e às vezes transborda.
Comprar na Amazon

Aceito ser quem sou, amo ser quem sou, sem deixar de procurar uma versão melhor de mim (trecho de “Aceitação“).

Neste tempo de crise sanitária, política e econômica, faz bem esquecer as más notícias de vez em quando e distrair a mente com temas mais leves, que nos deem um pouco de conforto e de esperança.

Por isso trago como sugestão de leitura o livro AmoreZ, de Regiane Folter, que acabou de ser lançado em formato e-book e pode ser lido gratuitamente por quem é assinante do Kindle Unlimited.

Continue lendo

1 2 3 4 5
© 2024 Histórias em MimDesenvolvido com por